sábado, 28 de abril de 2012

O Bom Pastor

Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a vida pelas ovelhas. Um empregado trabalha somente por dinheiro; ele não é pastor, e as ovelhas não são dele. Por isso, quando vê um lobo chegando, ele abandona as ovelhas e foge. Então o lobo ataca e espalha as ovelhas. O empregado foge porque trabalha somente por dinheiro e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor. Assim como o Pai me conhece, e eu conheço o Pai, assim também conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem. E estou pronto para morrer por elas. Tenho outras ovelhas que não estão neste curral. Eu preciso trazer essas também, e elas ouvirão a minha voz. Então elas se tornarão um só rebanho com um só pastor. O Pai me ama porque eu dou a minha vida para recebê-la outra vez. Ninguém tira a minha vida de mim, mas eu a dou por minha própria vontade. Tenho o direito de dá-la e de tornar a recebê-la, pois foi isso o que o meu Pai me mandou fazer. (Jo 10, 11-18)

A figura do Bom Pastor vai além de seu simbolismo profissional: o Bom Pastor é aquele que tem a capacidade de guiar e de conduzir suas ovelhas à verdes pastos. Nosso Senhor Jesus é um Bom Pastor: Ele foi capaz de morrer por nós, para nos dar vida em abundância, a fim de repousarmos em fontes tranquilas; Ele nos restaura, dando-se a Si mesmo. Precisamos ser guiados pelo Bom Pastor, para que tenhamos senso de direção e não fiquemos desamparados diante das dificuldades da vida. Precisamos conhecer e seguir a voz do Bom Pastor. Rezemos pelas vocações, para que haja sempre bons pastores comprometidos com a mensagem de salvação de Nosso Bom Deus, e também, para que em nossa caminhada cristã, manifestemos com alegria e coragem o verdadeiro "ser cristão" que devemos expressar, principalmente diante dos mais esquecidos. Muitos de nós somos pastores de algumas ovelhas... Lembremos que somos ovelhas de Nosso Bom Deus: Ele nos dá o exemplo de comprometimento com a comunidade; afinal, como cuidamos das ovelhas que Nosso Bom Pastor traz até nós?

Caminhar sempre...

 
"Neste caminho
é preciso caminhar sempre para chegar,
ou seja ir sempre suprimindo quereres,
e não os sustentar.
E, se não se chega a suprimi-los a todos,
não se acaba de chegar.
Porque assim como a madeira
se não transforma em fogo
por um só grau de calor
que falte na sua disposição,
assim a alma não se transformará em Deus
tendo uma imperfeição,
nem que seja ainda menos que apetite voluntário;
porque a alma não tem mais que uma vontade,
e se a embaraça e emprega em algo,
não fica livre, só e pura,
como se requer para a divina transformação."


(Subida 1, 11,6)

sábado, 21 de abril de 2012

... Recordando...


... Solenidade de São José, em Guaraciaba do Norte,
no dia 19 de março




Márcia e Emiliana



... Dia 28 de Janeiro, início das atividades do ano de 2012
(café partilhado com a comunidade)...




... Da Esquerda para a Direita: Helena, Márcia, Arlete, Maria do Carmo, André, Ariane, Pe. Claúdio (Pároco de Ibiapina), Ana Lourinho, João Leno, Cléber, Paulo Gauttiele, Fátima Rosa e Eliaci...



... lembranças da Semana Santa: Círio Pascal...




... início da Vigília Pascal...


... Sexta-Feira da Paixão, Procissão do Senhor Morto...



... orações...


... Procissão nas principais ruas de Ibiapina-Ce...



... quadro presente no altar da Igreja Matriz de São Pedro....

terça-feira, 10 de abril de 2012

Feliz e Abençoada Páscoa!

Amados irmãos em Cristo no Carmelo e todos os queridos irmãos e irmãs que nos acompanham no nosso blog:

"Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e Nele exultemos!"

Nós que fazemos o Grupo São João da Cruz, OCDS estamos contentes e muito gratos com a participação especial de cada uma das pessoas que conosco
partilham das fontes Carmelitanas para um maior e mais perfeito "louvor de glória" ao Nosso Bom Deus, que nos permite uma aproximação de seus mistérios amorosos já aqui nesta terra.

Ele, na sua gloriosa Ressurreição, permiti-nos renascer das trevas do nosso coração para Ressurgirmos
com vida nova, em Deus com os irmãos em comunhão de amor.

A todos o meu abraço fraterno! No desejo que as alegrias Pascais se estendam por todos os dias desse ano e por todas as nossas famílias, Comunidades, Grupos e amigos!

Em orações,


Paulo do Olhar de Jesus Crucificado, OCDS
(Coordenador do Grupo São João da Cruz, OCDS de Ibiapina-Ceará-Brasil)





sábado, 7 de abril de 2012

Feliz Páscoa!

Cantem todos neste dia:
A Páscoa da alegria!
O Cordeiro imolado resgatou as ovelhas:
O mundo libertou do pecado;
Grandioso duelo entre a morte e a vida,
A morte sucumbiu: foi vencida!

Diz Madalena agora: que viste tu na aurora?
"Vi o sepulcro abalado, e vi a Cristo Ressuscitado!"

Os anjos afirmaram, as vestes o provaram:
"O meu Senhor está vivo!
Da morte não será mais cativo!"

Nós vos damos testemunho da grande vitória:
Ó Cristo Nosso Rei, Nossa Glória!
Amém. Aleluia!



(Sequência Pascal - Irmãs Carmelitas de Teresina)

O Grupo São João da Cruz
deseja a você e a sua família, uma Feliz Páscoa!

Que nesta Páscoa, amemo-nos ainda mais,
e ao nosso próximo,
demos mais amor e compreensão!


No silêncio de nossos corações
sintamos o amor de nosso Senhor Jesus...

Sintamos Suas mãos feridas tocando nossas almas:
SENHOR, ÉS DÁDIVA SILENCIOSA!

Feliz Páscoa!

Fiquemos unidos em oração!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

"Pai, em Tuas mãos entrego o meu espírito."


É sexta-feira.
Dia de recolhimento, quando o
caminho da paixão e morte de
Cristo vai findando.

Aquele que fez da morte a única
forma de mostrar e trazer
aos homens a libertação total.

Se algumas palavras não bastaram,
se suas ações não convenceram,
resta-lhe a vida a ser entregue
pela vida da humanidade.

A vida sem-voz e sem-vez.
A vida dos que pagam
injustamente o peso de um sistema
perverso e de leis não cumpridas.

A vida dos que agonizam
na enfermidade incurável.
A vida dos menores abandonados,
dos presos, dos torturados,
das prostitutas,
dos sem-terra e sem-teto,
dos desempregados ou submetidos
a um salário de fome.

A vida dos sem-vida.
A vida dos profetas e inocentes.
Cristo representa essas pessoas
marginalizadas por nós
quando não partilhamos
e calamos indiferentes aos apelos
dos pequeninos.

E enquanto sua dor vai ficando
mais intensa, mais ele clama
por nós...

"Meu Deus, meu Deus, porque me
abandonaste?"... E seu povo,
ludibriado pêlos entendidos e
poderosos que não o receberam...
até que suspira.

"Pai, em tuas mãos entrego o meu
espírito."

E a cruz, o madeiro...
fica-nos como sinal do compromisso,
da renúncia, da entrega,
do discernimento.

Símbolo da fé cristã que irradia
aquele que superou a morte,
desafiando o poder de qualquer
império...

Ressuscitando como ninguém
no dia seguinte, com o
cantar dos pássaros e com a luz do amanhecer.

Vale para nós, o mesmo sentido
que São Paulo deu à ressurreição
quando falou aos coríntios.

Nossa pregação e nossa fé
são ilusórias, vazias,
se não acreditamos que Cristo
ressuscitou.

E se nossa esperança nele
é só para esta vida, somos os
mais infelizes de todos os homens.
Vem, Senhor Jesus.


De Cariolando Soares Siqueira São Paulo-SP